Papo de Infância: jornalista desenvolve projeto que une comunicação e maternidade

Perguntei à Renata, do Papo de Infância, como ela se define. “Pessoa de alma simples, que adora conversar, ouvir, ser mãe, ser família. Idealista, que tenta contribuir para um mundo melhor.” Raras pessoas sabem se definir tão bem. Acredite… ela é desse jeitinho.

Aos 38 anos, trabalha incansavelmente para produzir conteúdo de qualidade para mães e pais que se preocupam com a formação humana dos filhos. Ela montou o Papo de Infância, um projeto para compartilhar ideias e informações com quem forma nosso futuro. Do caramba.

Renata alimentava o sonho de ser jornalista 20 anos atrás lá em Campos dos Goytacazes, interior do Rio de Janeiro. O avô amava ler jornal e comentar as matérias. E ela aproveitou o gosto pela leitura para alimentar o desejo de ser comunicadora.

É bom lembrar o motivo que nos fez jornalistas, né? É como se reapaixonar.

Foi difícil começar esse caminho profissional. Mas ela foi “comendo pelas beiradas”, como diz, para chegar onde queria. Fez magistério e começou a trabalhar para ajudar os pais a pagarem a faculdade. O esforço valeu. A Faculdade de Filosofia de Campos dos Goytacazes formou Renata Monteiro jornalista em 2000.

Papo de Infância: agora começa a aventura

Renata foi repórter de várias emissoras no RJ

Renata foi repórter de várias emissoras no RJ

Foi repórter de diversas emissoras de tevê. Depois passou a trabalhar com comunicação interna de uma grande empresa. E construiu uma bagagem profissional e tanto. É grata por tudo o que viveu e não se arrepende da escolha do Jornalismo — apesar dos tropeços que só os colegas da profissão entenderiam, como a dificuldade do mercado e o pouco dinheirinho entrando no bolso.

Uma crise da empresa onde trabalhava em 2015, deixou Renata agoniada: “e se eu perder o emprego, o que quero fazer?” Preocupação válida porque ela tinha acabado de ser mãe do Pedro. A reflexão anunciava um ciclo de muitas mudanças.

A única certeza era que voltar para o jornalismo diário não seria a melhor opção devido à rotina pesada da redação e a atenção que o filho exigia. “Decidi que queria algo no qual me permitisse horário flexível e que não me restringisse geograficamente.” Desejo de everybody.

Em setembro de 2016, fez um curso de empreendedorismo para mães. No entanto, não havia encontrado uma possibilidade de trabalho que fizesse o olho brilhar. Pensou em uma loja virtual, mas nhé.. ela gostava de gente, interagir. Aí pintou a ideia de um blog sobre empreendedorismo feminino. E estava decidida a seguir por esse rumo.

Mudança de direção

Renata se inscreveu no REALIZE – Programa de Protagonismo Digital pra Jornalistas e conversamos bastante. Ela se deu conta que ainda não era o caminho certo. E isso abalou as estruturas emocionais. “Achei que eu não iria conseguir me encontrar de verdade.” Calma, a crise também traz crescimento.

Dois dias depois, em uma reunião na escola do filho, Renata assistiu o documentário Tarja Branca e tudo se encaixou. “Por que não unir o jornalismo com a maternidade? Por que não falar sobre a primeira infância, uma fase tão fundamental na vida?” E os fogos de artifícios explodiram de felicidade.

Com a ajuda do marido, do REALIZE e da comunidade de jornalistas que se formou em torno do programa, eis que o Papo de Infância vai para o ar com site e redes sociais. Perceba que há uma grande missão por trás do projeto. Existe propósito que mantém viva a chama da ideia.

O propósito

papo de infância

www.papodeinfancia.com.br

“A maternidade me trouxe uma outra perspectiva de vida e penso que posso contribuir com informação relevante, impactar outros pais que desejam criar filhos mais autônomos, íntegros, pessoas do bem. A intenção é propor reflexões e compartilhar conhecimentos que podem ser úteis”.

O sonho da Renata é conseguir guiar o filho no caminho do bem. E se, de carona, levar outras crianças no Papo de Infância, bom demais. Já está no caminho e nada paga essa sensação de ser útil.

O Papo de Infância tem poucos meses de vida e muita energia. Procura parcerias e mais audiência, claro. Neste mês, vai rolar uma série de 5 reportagens sobre crianças com autismo. Vai ter texto, vídeo e entrevistas com especialistas. Quem quiser receber as matérias por e-mail, basta se cadastrar aqui.

________________

A Renata participou do Realize. Faça parte dessa comunidade.

 

QUEIRA MAIS COM RENATA MONTEIRO

Quais são os principais desafios de colocar um projeto no ar?

Trabalhar on-line exige persistência, paciência e trabalho duro. As coisas não acontecem da noite para o dia, como muita gente pensa. No meu caso, os principais desafios foram: decidir o caminho que eu queria tentar, encontrar o meu propósito, vencer a insegurança e seguir em frente apesar das dificuldades.

Quais são as dicas para os jornalistas que procuram novos rumos?

Não ter medo de tentar coisas novas. Quando a gente dá o primeiro passo, as coisas acontecem. E não ter receio de mudar de rota, se perceber que a atual não é pra você. Aproveitar a caminhada e não dar mais peso às coisas do que elas têm.