Jornalistas pensam em empreender na crise

Sou jornalista e, desde que comecei a empreender, encontrei muitos colegas assustados com minha atitude. Não tinha lhes passado pela cabeça começar um negócio — muito menos na internet. A zona de conforto das redações inibe esforços para pensar em outras alternativas de trabalho. Mas a crise chegou. Alguns deles esperam a demissão chegar, outros mexem o traseiro para continuarem no mercado, outros ainda estudam empreendedorismo.

O que me surpreende é ver quem zombava de mim ao dizer que eu não faria jornalismo fora da redação, hoje ter uma empresa de assessoria/produção de conteúdo. HAHA! Mais e mais colegas optam (ou pensam bastante a respeito) por empreender. Fiquei certa disso quando elaborei uma pequena pesquisa informal entre os participantes da comunidade Jornalista 3.0.

O objetivo do formulário era entender como eu poderia ajudar meus colegas com conteúdo. Saber o que eles precisam para estarem mais felizes com a profissão é importante para mim. Obtive 41 respostas e consegui análises muito interessantes. O período de apuração foi no mês de dezembro de 2015.

Vamos lá?!

  • A maior parte dos participantes é de jornalistas experientes que querem aprender mais sobre as possibilidades da internet. Olha só: 38% do total deseja empreender. Eles estão profundamente incomodados com os baixos salários e a estagnação na carreira. Claro, né?! Esse piso salarial é ridículo.
  • Boa notícia, companheiros! A maioria acredita que a crise trouxe um excelente momento para rever conceitos do Jornalismo e estão otimistas com as possibilidades da internet. Uhuulll!!!
  • E mais: eles têm uma boa ideia guardada na gaveta que não conseguem colocar em prática por diversos motivos. O principal é a dificuldade em monetizar projetos.

Preparei um relatório bem legal com dados completos e mais informação. Vale a pena conferir. É só baixar em PDF nesse link: O que os jornalistas querem

Abraço gigante,

V.